terça-feira, 6 de novembro de 2012

The Vampire Slayer 8

                                                        

–Então, vamos começar ? – Justin abre um sorriso enorme que me deu uma vontade de socar a cara dele só pra ver seus dentes quebrados.
–Não, não vamos começar, nunca deveria ter começado na verdade.
–Como assim? Do que você está falando?
–Justin, a nossa parceria acabou.
–Como assim ? ta loca garota?
–Sim, com certeza estou loca, não deveria ter começado isso, faz o seguinte, finge que nunca me conheceu ok?
–Para com isso Kendall – sua voz mudou, seus olhos tinham medo e nesse momento eu senti pena, parece que ele sofreu em ouvir isso.
–Sinto muito, Adeus Justin – fecho a porta e me encosto nela, Justin bate na porta, me grita várias vezes, mais eu me recuso a abrir e quando escuto os passos dele se afastando e ligando o carro, eu começo a chorar descontroladamente, minha vontade era abrir a porta e ir correndo abraça-lo, mais eu não fiz isso eu não podia fazer isso.
Pedi para meu pai me trocar de sala, seria melhor assim, iria ficar sempre longe dele, evitar o Justin, esse era meu plano de agora em diante, e já que não estou mais treinando ele, vou voltar a caçar.
Era umas 8 horas quando meu pai rastreou um vampiro, até que não deu muito trabalho para mata-lo, ele só era bem forte, mais consegui ser melhor que ele. Na volta pra casa fui por um caminho diferente, fui por uma rua que eu nunca tinha passado antes e quando eu menos esperava, vi o carro de Justin chegando em uma casa, rapidamente me escondi em uma árvore e vi ele estacionando e abrindo a porta daquela casa, então aquela era sua casa? e ele não parecia estar “Normal”, parecia meio bebado. Assim que ele entra, vou logo correndo para casa antes que ele me visse.
POV. Justin

Sai da casa de Kendall naquela tarde totalmente desolado, não conseguia entender nada, ela é muito loca, uma hora ta tudo muito bem com nós dois, e outra hora ela não quer mais falar comigo. Saindo de lá tive que beber alguma coisa, confesso que passei dos limites, mais era melhor do que ficar totalmente sóbrio, senti uma dor horrivél ao ouvir Kendall me pedindo para esquece-la, era inacreditável o que eu sentia por ela.
Cheguei em casa e fui direto tomar um banho e cai na cama, só acordei no dia seguinte para ir a escola, iria encontrar Kendall, e ela tinha que me dizer o motivo realmente por não estar falando comigo. Me arrumei correndo e nem tomei café, queria chegar logo na escola para encontra-la.
Mesmo querendo chegar cedo não consegui, quando cheguei o sinal tinha acabado de tocar, entrei na sala e Kendall não estava lá, a aula acabou e Kendall não tinha chegado, chegou a hora do intervalo vi ela em seu armário pegando livros, aí que não entendi nada mesmo, então fui até ela ver o que estava acontecendo.
–Kendall, não te vi na sala , como você está aqui pegando livros se eu não te vi na aula?
–Eu mudei de turma –fecho o armário e começou a andar.
–Ei espera – seguro ela pelo braço.
–Justin, me solta -puxou o braço- vai ser melhor assim.
–Cara, alguma coisa aconteceu não foi ? você não quer falar comigo porque?
–Eu só quero ficar longe de você, só isso, me deixa em paz – vira e sai andando.
–NÃO – seguro pelo braço- anda logo, você não acha que eu preciso de uma explicação? Por você está sem falar comigo por algum motivo e não quer me contar, para de ser criança.
–CRIANÇA? Eu, criança? Se enxerga Justin, me deixa em paz, eu já disse- se vira e vai pra sua sala.
OK, agora ela passo dos limites, ela está toda nervosa e não me diz o motivo de não querer olhar na minha cara, mais eu tive uma idéia, hoje ela vai me dizer o motivo, já que ela não quer me dizer por bem, então vai ser por mal.
Na saida da escola , escondi meu carro perto de uma árvore, e deixei o porta mala aberto, e todas as outras portas trancadas, me escondi no arbusto perto da saída, e assim que vi Kendall passar por ela, fui correndo em sua direção, peguei ela no colo colocando ela no meu ombro , e levei ela até meu carro, ela começou a gritar e a se debater, mas logo desistiu, percebeu que seria inútil.
Coloquei ela no porta mala e fechei, abri a porta do carro, e logo ela se jogou no banco de passageiro pra tentar escapar, mais eu fui mas rápido e tranquei logo a porta e sai cantando peneu dalí.
–Você piro de vez garoto? Pra onde você vai me levar? – fala Kendall sentada atraz no banco de passageiro com dois olhos arregalados.
– Hoje você vai ser minha prisioneira, ou dias, ou meses, ou anos, bom, isso depende de você agora, quanto mais rápido você me disser o que está acontecendo, mais rápido eu vou te soltar – sorrio ironicamente para Kendall.
–Eu posso te denunciar por sequestro sabia?
–Tenho certeza que você não vai fazer isso, não sabendo que tenho muitos segredinhos seus –sorriso ironico.
–Você é patético.
–E você é linda –sorrio.
Consegui deixa Kendall mais irritada, quando estacionei em frente da minha casa ela pareceu reconhecer o lugar, e isso é estranho, pois nunca a trouxe aqui.
–Porque me trouce pra sua casa?
–Minha mãe está fora, então, não tem problema de eu usar minha casa como cativeiro -sorriso ironico- Sai do carro e logo fechei a porta, abri a porta de traz e puxei ela pelo braço e arrastei ela pra dentro e tranquei a porta e coloquei a chave na minha cueca.
–Se você tentar pega essa chave, vou te denunciar por acédio sexual.
– Eu já disse o quanto você é idiota?
–Não, mais já disse que se sente atraida por mim – Kendall pega uma almofada e joga em mim e eu me diverti mais ainda com a situação.
–Realmente, você é um completo idiota.
–Puxa, era pra eu me sentir mal? Desculpa, não deu certo –sorriso ironico- mais então, está com fome? –sorriso malicioso.
–Para, seu ridículo.
–Calma, to brincando, vem, vo pega nossa comida- vou em direção a cozinha e Kendall me segue, ela se senta na mesa e fica me fuzilando com os olhos.
–Sério Justin, me fala logo, o que você quer?
–Ainda preciso dizer? – me encosto na bancada.
–Sabe , você queria uma chance comigo, dizia gostar de mim, se sentir atraido por mim, mais na verdade, era tudo da boca pra fora, você não agia assim pelas minhas costas.
–Do que você ta falando Kendall ? eu gosto de você – me aproximo e fico debrussado na mesa de frente pra Kendall- foi você que começou a agir estranho comigo.
–Como assim? – se levanta- foi você que fez a merda e ainda dá um de desentendido?
–Que merda Kendall? Será que dá pra você me dizer? – me aproximo -FALA SÉRIO JUSTIN – fica alterada- ontem eu voltei pra buscar meu celular, e vi você com amanda.
Na mesma hora que ela falo isso, eu já tinha sacado tudo, agora sim entendi o porque de estar tão brava comigo.
–Você viu o beijo não é?
–Sim, vi – seus olhos começam a encher de lágrimas- e confesso que senti uma dor bem grande- sua voz estava diferente, avia dor.
–Kendall, eu não á beijei, olha, agora deixe eu te explicar, fui conversa com ela pelo fato de ter enventado coisas pra você, só que ela já estava ficando alterada comigo, negando tudo, e dizendo que nunca tinha falado com você antes, e eu sabia que isso era mentira, eu já vi ela conversar com você, então, ela tava dando maior ataque, então puxei ela pro vestiário, era o único lugar que poderiamos conversar com privacidade no momento, derrepente ela comçou a falar que você era loca, que tinha enventado tudo, e começou a falar que me amava e não sei o que mais, e derrepente me beijo, na hora paralisei um pouco porque não esperava, mais eu NUNCA iria corresponder, eu NÃO a beijei Kendall, logo eu empurrei ela, mais parece que você não fico me vigiando tempo suficiente pra ver isso – fiquei olhando bem em seus olhos para ver sua reação.
–Isso é verdade?
–Kendall, por favor né? Você não percebeu que estavamos discutindo pow?
–Sim percebi, mais sei lá, na hora quando vi o beijo, logo me virei e sai correndo dalí, não queria ficar lá mais nenhum minuto, o que eu tinha visto já era o suficiente, mais agora examinando tudo, nossa, me sinto idiota –Kendall sorri meio sem graça.
–Viu só sua boba, porque não me disse antes?
–Aaah, o que você queria também? Achei que você tivesse beijado ela né? Fiquei com ciumes.
Na mesma hora Kendall congelou e um sorriso no meu rosto surgiu, ela disse que ficou com ciumes, na mesma hora ela colocou a mão na boca se arrependendo por ter dito aquilo na minha frente, e é claro que eu fiquei com um sorriso de orelha á orelha, ela confessou que estava com ciumes, da pra acreditar?
–O que foi isso ? –sorri
–Nada, esquece o que eu disse.
–Não, agora que você me disse isso, eu não vou esquecer mesmo –seguro Kendall pela sintura e a puxo pra perto de mim ficando com nossos corpos bem colados, começo alisando suas costas descendo minha mão pela sua coxa e apertando, aliso seu rosto e ficamos nos encarando, olhando bem nos olhos ,desço minha mão no seu queixo e conduzo ele lentamente para sua boca se aproximar da minha, e quando percebi, estávamos nos beijando, loucamente, cada vez com mais desejo. 
Continuo com 5 comentarios 

8 comentários: